sexta-feira, 24 de abril de 2009

Relações Internacionais

Sério, queria falar sobre ontem com mais ciência. Mas tudo que lembro são poucos flashes. E eles não fazem muito sentido aqui. O que me leva a pensar que podem fazer parte do meus sonhos. De qualquer jeito, julgue você essa minha vida onírica. Vem comigo. /Goulart de Andrade:

- Estou no bar. Conversando com uma grande turma de franceses, me sentindo a embaixatriz. Toda uma vibe ano da França no Brasil, e eu perdendo meu tempo dando em cima de um hétero cuja mulher do lado estava. Matilda era o nome da fofa. Ah, eles tinham filhos tipos de 11 anos. E vieram pro Brasil por causa de um casamento. Oi, tô lembrando de tudo, actually. O porque deu estar ali não veio junto na memória.

- Estou no banco da passagem entre o lado do bar e o do fliperama, sabe? Ali eu tô fazendo mil elogios à duas mulheres de 30 e tantos, recém conhecidas. Elas me amando, e eu adorando ser um darling. O porque disso não veio junto na memória.

- Estou na pista, falando pra Marita, minha recém amiga, que ela é o máximo. Uma americana. O porque disso não veio junto na memória.

- Eu na pista beijando o Ruy. Único beijo que lembro. Americano. Pais cearenses. Um pouco depois "j" fez o mesmo.

Meu nome não é Eneas. É Lula.

Procura-se bloqueio continental. Tratar aqui.

Uma troca de torpedos diz mais que mil palavras:

(6:04am) "j" - Ai q vap
(6:09am) "m" - Ai ai
(6:10am) "j" - Bem loca
(6:12am) "m" - bem lueca
(6:13am) "j" - Bem mons stra essa sou eu

2 comentários:

el justiciero! disse...

oq eu mais me admiro na loca é a facilidade em encontrar amigos eternos por 30 minutos. ai q loucura!

PedroPeter disse...

quinta feira, quem topa?